Bem Vindo!

Ler é mais que decifrar códigos linguísticos...
É ver o que mais ninguém vê...
Ler é viver, é sonhar, é renascer
A cada amanhecer...
Ler é um encontro com a realidade dos sonhos
Descobrindo a cada segundo
Um mundo novo, escondido ao nosso redor...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

ÍNDIO






Índio


No chão de barro molhado
Segue o índio  para seu calvário,
Compassados passos
Em caminhos que outrora
A vida representava.


A várzea agora ampara as lágrimas
Do poderoso Tupã.


As lutas foram enterradas por sob a terra,
Curumins e cunhantãs agora estão
Presos ao sonho da caixa preta de
Brilho cintilante...


A chuva leva as marcas do rosto
De guerreiros sem luta,
As lembranças proclamadas para o vento
Perderam-se nas cordilheiras do tempo.


Seu maior tesouro descansa em paz
A sete palmos no fundo do rio.


E agora...


Quem somos nós?


(Gheysa Moura)