Bem Vindo!

Ler é mais que decifrar códigos linguísticos...
É ver o que mais ninguém vê...
Ler é viver, é sonhar, é renascer
A cada amanhecer...
Ler é um encontro com a realidade dos sonhos
Descobrindo a cada segundo
Um mundo novo, escondido ao nosso redor...

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Escolha

O mundo em suas muitas voltas
nos apresenta realidades questinaveis
e sentimentos duvidosos...
Nessa perspectiva o certo e o errado
parece não ter definição
Não existe chão, apenas o cinza do nada
perdido na escolha do caminho para o
amanhã...


Gheysa Moura

CLARÃO

Clarão

Seu olhar surgiu como um clarão
expulsando as trevas dos corredores
de minh'alma...
Uma certeza incerta de um tempo
que se diz ausente, mas reclama
a possibilidade em algum lugar...
Talvez na estação sem limites da
contra-mão da história
Onde a orquestra executará a sinfonia
da verdade dos teus lábio
em um segundo de eternidade...
As trevas será apenas um detalhe perdido
na fita de cetim que o vento leva
pelos labirintos da vida...
Quanto a mim que outrora quase fui feliz
adormecerei protegida por seu abraço.

Gheysa Moura

Pensamentos da Manhã

O cinza do dia me fez perceber que ao meu lado esta somente a solidão
Tudo que eu tenho não posso sentir, mas é onde posso desabar e ser apenas eu...


Sorria quando nada mais existir,
pois a lágrima que passear em sua face
ao encontrar seu sorriso, fará a vida
renascer ao som da canção celestial
da sua alma...


Na tela vazia do artista posso ver os anéis de Saturno
escondido nas lágrimas do escuro...


O cinza é tão real que posso tocar em seu medo
enterra-lo aos pés do absurdo e
no flerte eterno dos transeuntis permite-se
que seja tatuado os sonhos perdidos no tempo vadio...


Se não há concordância nas horas
nos detalhes imperfeitos da realidade repousa o 
celamim de quem espera o travador perdido...


As vezes sentimos uma dor imensuravel impedir nosso caminhar
mas o vento nos ajuda a mentir essa dor...
O mundo então gira devagar para que
os sonhos possam ser decifrados pelo tempo e a dor
se torna apenas uma lembrança...


Gheysa Moura

Pensamentos

Embora o dia seja langoroso
O calor do sol sempre irá nos envolver
Renovando a esperança de um dia bom...



Não existe distância que apague as lembranças de um tempo bom
Não existe distância que faça os jovens deixarem de sonhar
Não existe distância impedindo o barco de voltar...
Portanto, a saudade é apenas o tempo mostrando a distância
que perto ou longe as pessoas podem se harmonizar...



Ainda que as águas da chuva leve as lembranças
a desaguar no Negro, o tempo se torna infinito no
sedutor olhar da imensidão...



Por entre as brumas posso ver a luz do seu olhar
E no chão de barro batido as marcas de um tempo
que logo vai passar...



Contemplando o amanhecer langoroso
Tento mensurar um sentimento despretensioso
Que agora decidiu não seguir para o mar...
Vou esperar o tempo anunciar o fim
Quem sabe nesse dia esteja pronta para recomeçar...



Queria eu ter o dom dos poetas para saber 
traduzir o silêncio em palavras, compreender um olhar
e ler as entrelinhas da alma...
Saber descrever o universo que há em seu olhar 
e transformar em música a emoção de estar ao seu lado,
Ainda que os rios pareçam distantes, as palavras sempre
dizem o contrário...


Gheysa Moura


sábado, 26 de maio de 2012

SAUDADE

Saudade 
Meus versos sempre serão seus
ainda que apenas traduzam o vazio
de minh'alma...
Serei uma sombra que irá protege-lo
em dias quentes a margem do rio
com o único proposito de perder-me
nos Lençóis Maranhenses...
No jardim ainda está as lágrimas da fada 
que escolheu fenecer nos braços do Elfo, 
a espera do dia em que o teu beijo 
devolverá o folego da vida...
 
Gheysa Moura

A RUA

A Rua

Olhando o movimento da rua observo 
o quadro desenhado pela natureza
a beleza do céu multicolorido
beijando a escuridão do rio
que ignora os limites cinzas do homem...
Sentindo a brisa suave ao entardecer
do êxtase do sorriso infantil
que ignora o medo e torna-se
herói de uma revolução silenciosa...
A chuva fina leva os problemas do dia
anunciando um novo amanhã
enquanto se tenta voltar para casa...
Mas o coletivo não vai esperar vazio
para que se possas apreciar 
a magia do olhar apaixonado
na Praça da Saudade
Esse sentimento ficou perdido
em algum lugar do ontem...

Gheysa Moura

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Existir



Existir

Essa madrugada procurei os segundos
Que outrora ecoavam no alpendre
Entre as fitas do vazio de minh'alma
Perguntas sem respostas no contexto
Mecanicista dos sentimentos
Insólitos que repousam em meu amanhecer
Reclamam a minha louca verdade
Mas desconhem que
Não há certo e nem errado
Apenas o incerto entre o mar 
E o brilho do entardecer
O mais estranho é que o relógio
Parou para esperar minha decisão
Pobre tempo já decidi não seguir
A menos que você permita 
Em teu abraço o meu
Existir...

Gheysa Moura