Bem Vindo!

Ler é mais que decifrar códigos linguísticos...
É ver o que mais ninguém vê...
Ler é viver, é sonhar, é renascer
A cada amanhecer...
Ler é um encontro com a realidade dos sonhos
Descobrindo a cada segundo
Um mundo novo, escondido ao nosso redor...

sábado, 10 de outubro de 2009

MECHAS DA ILUSÃO

Mechas da Ilusão




O vento leva meus ais
Para longe do cais
Onde outrora lágrimas
Acompanhavam meu penar
E no céu... Reluziam
Sem brilho e sem riso...


Agora não há pranto!
Voltou o encanto
Por este encontro das águas do rio
Seus suaves movimentos
São de quem se tornou alento
Por merecimento!



Aaah! Esse vento...


Brinca de leva e traz
Sabendo que a vida
É desconhecer
É morrer
A eterna filosofia do "ser ou não ser"


Entre a razão e a razão
Uma embriagante patuscada
De alegres cantigas enamoradas
Que trazem a luz da vida
Nessa morte desmedida
Agora esquecida


Sim, pois a brisa
Desse vento que desalinha
As mechas da ilusão
Com a suavidade de um beija-flor
Traz o perfume do rio
Que separa e aproxima
A luz e a escuridão


Por culpa dessa estrela
Que do céu está à espiar
Beija e acaricia
Com seu esplendor
A face de tão nobre sentimento


O lenimento de um verbo
Que diz muito mais...
Não é uma palavra
Assim recuso a classifica-la...
É um estado de espírito.

(Gheysa Moura)