Bem Vindo!

Ler é mais que decifrar códigos linguísticos...
É ver o que mais ninguém vê...
Ler é viver, é sonhar, é renascer
A cada amanhecer...
Ler é um encontro com a realidade dos sonhos
Descobrindo a cada segundo
Um mundo novo, escondido ao nosso redor...

sábado, 10 de julho de 2010

JARDIM

JARDIM

O que importa se o vento já não soprar
Se o tempo parou no dia sem adeus
Meus olhos petrificaram os minutos
Do seu silêncio para ser velado
Na noite do meu bem...
De nada adiantou a fuga da ilusão
Se o azul continua aqui
Marcando os ponteiros parados
No badalar dos sinos da catedral.
Embarco na carruagem fúnebre
Para viver a alegria da chuva
Lavando minha face e meu corpo
Fazendo florescer um jardim
Sob a cova do infinito...
Anda...
Não perca a hora do funeral!
Quero ver teus olhos no final
Quero ver se irá brotar dos olhos teus,
A luz da lágrima da verdade
Existindo ou sendo apenas o vinho...
Sinta o aroma do licor que sai
De meus lábios,
É o aroma do infinito,
Do prazer e da alegria
Perdida em lugar nenhum.
24h foi tempo insuficiente
Para ver o barco partir...


Gheysa Moura