Bem Vindo!

Ler é mais que decifrar códigos linguísticos...
É ver o que mais ninguém vê...
Ler é viver, é sonhar, é renascer
A cada amanhecer...
Ler é um encontro com a realidade dos sonhos
Descobrindo a cada segundo
Um mundo novo, escondido ao nosso redor...

sábado, 19 de setembro de 2009

DELIRIO

DELIRIO






Agora já sinto o frio da morte aproximar-se
Estou envenenada por teu cheiro que
Inebriou minh'alma nestas noites de tormenta.




Nem sei como aconteceu...




Derrepente me vi presa a tua sombra
Sufocante, rompendo a madruganda
Para me fazer sentir a pele arder
Em um completo desequilibrio.




Diante de minha janela observo ao
Fim da rua a carruagem do fim
Já ao longe ouço sua gargalhada
Desfazendo de minhas lágrimas.




Horas que não passam...




E eu chorando me entrego ao braços
Da loucura que me faz encontrar
Na menina, os desejos de mulher...




Sou amante do olhar que me aquece
Enquanto o veneno segue suavimente
Pelo meu sangue...




Já não dá mais para negar,
Feito alucinada quero o prazer
Das tuas mãos! Quero o prazer
De ver o amanhecer ao lado teu!




Mas isso não importa, não passa de
De um delírio e, a morte já me leva
Para sua morada.


(Gheysa Moura)


Em resposta ao poema SUAVE VENENO de JSollo.