Bem Vindo!

Ler é mais que decifrar códigos linguísticos...
É ver o que mais ninguém vê...
Ler é viver, é sonhar, é renascer
A cada amanhecer...
Ler é um encontro com a realidade dos sonhos
Descobrindo a cada segundo
Um mundo novo, escondido ao nosso redor...

domingo, 27 de junho de 2010

FURTO

FURTO

Ah!

Onde foram parar?
A mim pertencia, não poderiam levar!!!

Agora fico assim, sem saber para onde ir
Quero andar mas não sei andar
Não sei falar, não posso ouvir...

Ai...

Quero gritar, mas somente o silêncio existe.

Por favor...

Eu imploro...

Não, não, não...

Por favor, não faça isso comigo!

Devolva-me!

Para que possa voltar a ser o que sempre fui!
 
--
Gheysa Daniele

quinta-feira, 24 de junho de 2010

AGORA O QUE EU FAÇO

Agora o que eu faço?

No lampejo do farol o aroma do adeus...

Adeus!

Já não sou a mesma...
A dor levou o sabor do dia com a brisa
Fria que vem do norte...

Caminhar, caminhar, caminhar...

Não importa o que vejo acima dos
Girassóis, isso não tem mais sentido
Agora que lanço meu corpo do
Penhasco das horas...

Mas minha mente agora é liberta
Longe dos grilhões da razão
Politicamente correta do entardecer
Agora, sou parte do nada...

Sou parte da angustia de quem não
Conheci, apenas por ser o fim
Das cores na tela do artista
Que sorri diante da escuridão...

Por favor, deixe-me agora!

Não quero ver a luz dos olhos
Teus que revelam a culpa
Existente do vazio em meio ao circo...

Não, não! 

Agora o que eu faço?
Saia de mim, para que
Possa descobrir a madrugada
Em mim...

Gheysa Moura

terça-feira, 22 de junho de 2010

AMOR IMPROVAVEL

Amor improvável

Sonho sonhado na corda bamba do artista
Um passo da loucura outro da razão
Que me fez esquecer a força da paixão
Mas não sou poesia, sou apenas menina.

Mas a luz do farol vai guiar sua nau
Na tempestade do tempo incerto
Enquanto espera o desabrochar das flores
No jardim cinza da cidade das cores.

Ó destino, sua crueldade é imperdoável
Num golpe de mestre, usa os anos para
Levar o amor para longe de mim!

Mas improvável aconteceu, apesar da distancia

Os anos me fez assim, emoção e razão
Trazendo o amor para perto de mim.

Gheysa Moura 

domingo, 20 de junho de 2010

ESPELHO

ESPELHO

Não sei que horas marca o relógio
Olho e nada vejo além da alma
De quem nunca vi além dos espelhos
Indicando o horizonte...

Busco coragem onde existe somente dor
Para em teus braços descansar
Sentindo o acalanto do calor dos lábios teus
Onde a morte dança ao som do bolero da vida.

Apenas não esqueça o tempo...

Se for pecado desejar,
Estou condenada ao fogo do inferno
Mas não posso me arrepender de
Querer o teu gosto, de querer
Sentir você dentro de mim.

No templo frio o espelho se quebrará
E no seu ouvido, apenas o sussurrar
Dos segredos de minh'alma...

--
Gheysa Daniele

quinta-feira, 17 de junho de 2010

DESEJO

sDESEJO
 
Realiza meu desejo se sabes qual é!
Diz que vai mudar minha vida em um
Segundo e o silêncio irá responder
Por mim se sim ou não.

Quero sim o teu carinho, acordar ouvindo
O sussurrar de tua voz em meu ouvido
Esquecer que sou menina, em seus braços
Ser mulher, ser magia, ser poesia...
Não é fácil deixar-te para depois
Por que desejo você hoje, agora
Rápido, sem palavras, com beijos
E sem beijos, mas preciso
Sentir teu corpo pesar sobre o meu.
No leito em que nunca deitas-te
Sinto seu cheiro de homem a
Na louca consumação da libido
Que me faz acordar amando você.
Não é enfeite em meu travesseiro
É a presença inexistente do ser
Do som do gozo, suave que nunca
Ouvi sair de seus lábios.
Meu desejo é o teu prazer
Ainda que não acredites no anoitecer
Mas em meus olhos sempre
Haverá o sol do amanhecer
Que existe em teu olhar
Quando diz que me ama.
--
Gheysa Daniele